sexta-feira, 5 de outubro de 2018

🎬 O Incrível Homem que Encolheu (1957)

OUTUBRO DAS BRUXAS 
🎃

HOMENZINHO

Quando Scott Carey começa a diminuir por causa da exposição a uma combinação de radiação e inseticida, a ciência médica é impotente para ajudá-lo.

Favor não confundir com QUERIDA, ENCOLHI AS CRIANÇAS (que certamente se inspirou neste clássico na criação dos efeitos especiais) como não é uma produção Disney e sim da Universal Pictures, O INCRÍVEL HOMEM QUE ENCOLHEU a primeira versão de 1957 - (depois houve uma nova adaptação em 1981 bem tola dirigida por JOEL SCHUMACHER que mistura sic-fi e comédia estrelada por Lily Tomlin (A Mulher que Encolheu), Charles Grodin e Ned Beatty  e outras versões para TV que bebem da mesma fonte) entrou para a minha lista deste ano do especial Outubro das Bruxas. Embora tenha elementos do cinema de aventura fantástico o Horror- Sci-fi da fita é evidente. A magia dos efeitos especiais não envelhecem e continua a transcender o tempo. Quando assisti pela primeira vez ainda menino tive pesadelos. Eis que o responsável pelos meus sonhos terríveis de infância é o mestre deste seguimento, o diretor e produtor americano JACK ARNOLD (1916-1992). Ex-ator e documentarista, foi para a Universal, onde se tornou responsável por um renascimento do estúdio (que nos anos primeiros anos pertencia a Carl Laemmle) no setor do filme fantástico propriamente. Assim, criou O MONSTRO DA LAGOA NEGRA, enfrentou A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO, lutou com a TARÂNTULA, mas conseguiu sua obra-prima, esta que vos falo, com a ajuda do roteirista RICHARD MATHESON o mesmo de Encurralado (1971), Em Algum Lugar do Passado (1980), Eu Sou A Lenda (2007 - antes adaptado como The Omega Man - A Última Esperança da Terra, 71) baseado na obra literária do mesmo. Depois de uma fase na qual se dedicou exclusivamente à TV, Arnold retornou à ativa, em filmes de pouca qualidade e repercussão, mas é inegável a sua importância no gênero ciclo de filmes TERROR e ou/ Aventuras ATÔMICA! 




Arnold não almejava criar apenas filmes meramente comerciais. Sempre existiu a intenção de criar subtexto. Por exemplo, em O Monstro da Lagoa Negra, o elo perdido da natureza e todo o ecossistema de seu habitat natural fora invadido e poluído pela ação dos homens. Quando Julia Adams está fumando um cigarro e joga a bituca no lago, Arnold faz com que acompanhemos esse objeto afundando indo de encontro com a criatura que a observa de forma ameaçadora. O cigarro é o ligamento mais forte do homem vs. natureza. Aqui, em sua primeira metade, Arnold faz uma representação curiosa do herói como um problema alternadamente médico, doméstico e socioeconômico. Por mais que a película não seja considerada uma obra-prima pela maioria dos críticos, essa associação com O Incrível Homem que Encolheu é bastante pertinente, tanto que não vejo problemas em compará-lo com, digamos, filmes como Palavras ao Vento (1956), de Douglas Sirk e por mais que não seja um melodrama classe A e seja mais um típico filme B das matinês. Mesmo porque, Arnold não exita em recriar um retrato irônico e aterrorizante da vida da classe média norte-americana basicamente virada do avesso.

Na premissa, Scott Carey, interpretado por GRANT WILLIAMS (1931-1985) e que naquele ano atuou também em outra pérola: Rastros do Espaço (1957), de John Sherwood, é exposto a uma espécie de nuvem enigmática, certamente radioativa, enquanto estava em um cruzeiro e, com isso, acaba encolhendo aos poucos. E a medida em que encolhe o filme começa a ficar realmente interessante e aterrador. O que mais me fascina no filme é a simplicidade visual, porém criativa, de Arnold que combina sabiamente o caráter absurdo e ambíguo da premissa de Matheson para depois, em seu segundo ato, a fita realmente instigar o espectador...

Scott, então menor do que o salto de um sapato, é abandonado a própria sorte em seu porão e precisa enfrentar várias ameaças naturais - de repente o lar se transforma numa verdadeira natureza selvagem e é aí que o filme deslancha, tornando-se uma aventura de ficção científica emocionante e por que não dizer até mesmo poética?! Mas há terror, Rodrigo? Sim, ele existe, além daquela antecipação que nos causa calafrios e muito nervoso quando tudo que aparece no caminho de Scott se apresenta como monstros: um gatinho que deu o que fazer e uma aranha que é acordada em sua teia e sai para fazer um lanchinho...

O desfecho é inspirador ("Para Deus, não existe zero").  Arnold faz o que poucos cineastas conseguiram, talvez somente Lucas e Spielberg que seguiram sua trilha, ou seja,  fez algo raro neste tipo de cinema popular conseguindo lidar de forma clara e objetiva com temas sociais, naturais e metafísicos.

Grande parte da aura deste filme, do porque ele é especial, vem da sua agudeza psicológica e do uso vívido e preciso dos objetos que em um filme "normal"  são meros adereços de cena, mas aqui, tornam-se cenários gigantescos! Sua arquitetura de escadas, caixotes, caixas de fósforos e latas de tintas,  citando alguns, são de encher os olhos.  E fizeram tudo isso em 57!

Para Arnold e Matheson, Scott é um típico homem da era atômica: sua aventura é uma lição sobre a hostilidade do espaço urbano e da propensão indestrutível da humanidade de tomar a si mesma como medida de todas as coisas.  Tenho a mesma predileção por ele como tenho por O Monstro da Lagoa Negra.

O pesadelo no mundo dos gigantes. Olha onde pisa, ou melhor, cuidado onde anda para não ser pisado!


Eua
Ficção-científica/Terror
1h 21min.
★★★★★






THE INCREDIBLE
SHRINKING MAN
© 1957 Universal-International UM FILME UNIVERSAL
Direção JACK ARNOLD
Roteiro de RICHARD MATHESON Baseado em seu livro
Produzido por ALBERT ZUGSMITH
Fotografado por ELLIS W. CARTER
Música de FOSTER CARLING . EARL E. LAWRENCE

ESTRELANDO:
GRANT WILLIAMS  ...        Scott Carey
RANDY STUART       ...        Louise Carey
APRIL KENT     ...                    Clarice Bruce
PAUL LANGTON       ...        Charlie Carey
RAYMOND BAILEY ...        Doctor Thomas Silver
WILLIAM SCHALLERT ...        Doctor Arthur Bramson
FRANK J. SCANNELL  ...        Barker (as Frank Scannell)
HELENE MARSHALL   ...        Nurse
DIANA DARRIN   ...                    Nurse 2
BILLY CURTIS      ...                   Midget

Nenhum comentário:

Acervo de Películas

00's 007 10's 20's 30's 3D 40's 50's 60's 70's 80's 90's Ação Adoro Cinema Akira Kurosawa Al Pacino Alec Guinness Alfonso Cuarón ALIEN Almodóvar ANG LEE Angelina Jolie Animação ARNOLD SCHWARZENEGGER Arthur P. Jacobs Audrey Hepburn Aventura Batman Bela Lugosi Bernardo Bertolucci Bette Davis Billy Wilder Blake Edwards Blaxploitation Bob Fosse Boris Karloff Brian De Palma Bryan Singer Buster Keaton Carl Laemmle Carol Reed Carrie Fisher Cary Grant Cecil B. DeMile Chaplin Charlton Heston Christopher Nolan CINE TRASH Cine-Doc CINEASTAS Cinebiografia Cinema Asiático Cinema Europeu Cinema LGBT Cinema Marginal Cinema MUDO CINEMA PRETO & BRANCO Cinema Rodrigo Clark Gable Clássicos Claude Rains Clint Eastwood Colin Trevorrow Comédia Coppola Crepúsculo CULTS Curt Siodmak Curta-metragem Curtis Hanson Daniel Craig DANNY BOYLE Danny DeVito Dario Argento Darren Aronofsky David Bowie David Cronenberg David Fincher David Lean DAVID LYNCH David O. Selznick DC Comics Denzel Washington Disney Documentário Drama Drogas Eduardo Coutinho Eisenstein Elia Kazan Elvis Presley Épico Época Erotismo Errol Flynn ESPECIAIS Fantasia Fatos Reais Fellini FERNANDO MEIRELLES FILMES IRREGULARES Filmes Natalinos FOX FRANÇOIS TRUFFAUT FRANK CAPRA Frank Darabont Frank Oz Fritz Lang Gangsters Gene Wilder George A. Romero George Cukor George Lucas George Miller George Stevens George Waggner Georges Méliès. Giallo Gillo Pontercorvo Grace Kelly Greta Garbo Guerra GUEST SERIES Guillermo del Toro Gus Van Sant Halloween Harold Lloyd Harrison Ford HARRY POTTER Henri-Georges Clouzot Henry Selick Hitchcock Home Video Homem-Aranha Howard Hawks HQ Humphrey Bogart INDIANA JONES Infantil Ingmar Bergman Ingrid Bergman Irmãos COEN Isabelle Huppert Ivan Reitman J.J. Abrams Jack Arnold Jack Nicholson Jacques Tourneur James Cameron James Ivory James Stewart JAMES WHALE Janet Leigh Japão Jason JEAN-LUC GODARD Jim Henson Joan Crawford Joel Schumacher John Carpenter John Ford JOHN HUGHES John Huston John Landis John Waters Jonathan Demme Joon Ho Bong José Mojica Marins Joseph L. Mankiwicz Judy Garland Kate Winslet Katharine Hepburn Kevin Spacey KING KONG Kirk Douglas KRZYSZTOF KIESLOWSKI Lars Von Trier Lawrence Kasdan Leonardo DiCpario Liza Minnelli Lon Chaney Jr Luc Besson Luca Guadagnino Luis Buñuel M.Night Shyamalan Marilyn Monroe Mário Peixoto Mark Hamill Marlene Dietrich Marlon Brando Martin Scorsese MARVEL Matinê Mel Brooks Melhores do Ano Michael Curtiz Michael Douglas Michael Haneke Michael Jackson Michael Powell Michel Gondry Michelangelo Antonioni Milos Forman MONSTERS COLLECTION Monstros Musicais Nacional Noir NOUVELLE VAGUE O Senhor Dos Anéis Oliver Stone Olivia de Havilland Orson Welles Oscar Outubro Das Bruxas P.T. ANDERSON Pam Grier Pânico Paramount Park Chan-wook Paul Verhoeven PERFIL Peter Bogdanovich PETER JACKSON Philip K. Dick Pier Paolo Pasolini Pierce Brosnan Piores do Ano Pipoca PIXAR Planeta Dos Macacos Policial Quentin Tarantino Rian Johnson Richard Donner RIDLEY SCOTT RKO Road-Movie Robert De Niro Robert Rodriguez Robert Wise Robert Zemeckis Roger Moore Rogério Sganzerla Roman Polanski Romance Sam Mendes Sam Peckinpah SAM RAIMI Sangue Scarlett Johansson Sci-Fic Sean Connery Sean Penn Sergio Leone Sessão Da Tarde Sessão Dinossauro Sessão DUPLEX Cinema MUDO Sessão Surpresa SESSÃO TRAILER Sexo SEXTA-FEIRA 13 Sharon Stone Sidney Lumet Sigourney Weaver Sofia Coppola Spielberg Stan Lee Stanley Donen Stanley Kubrick Star Trek Star Wars Stephen King SUPER HERÓIS Suspense Terror Thriller Tim Burton Timothy Dalton TOD BROWNING Tom Cruise Tom Hanks Tom Tykwer Trash TV Uma Thurman UNIVERSAL STUDIOS Universo Jurassic Park Victor Fleming Violência Vivien Leigh Wachowski Walter Hugo Khouri Walter Salles Warner Wes Craven Western William Castle William Friedkin Wolfgang Petersen Wong Kar Wai Woody Allen Zé do Caixão