segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Pedro Almodóvar | Julieta (2016)

A INCOMUNICABILIDADE FEMININA 


Filha rompe o relacionamento com a mãe culminando no desespero da mesma que um dia sonha em reencontrá-la. 



O 20º Filme de Pedro Almodóvar só poderia ser sobre mulheres. No entanto, o diferencial de “Julieta” é que dentre todas as fitas de sua obra é um filme mais distante, frio e doloroso. A paleta de cores continua lá, mas eu não senti ser um filme vibrante como os anteriores que mesmo no drama terminava em gargalhadas como o premiado e hoje clássico "Tudo Sobre Minha Mãe" (Todo Sobre Mi Madre, 1999). Não. Aqui ele evita o humor típico mesclado ao melodrama.  Eis um roteiro bem escrito e uma trama muito bem dirigida, embora tenha sacrificado demais o final, em minha opinião, justamente no momento em que gostaria de saber mais. É também um filme de narrativa mais lenta. Um Almodóvar para os impacientes (?). Mas, há detalhes que fazem dele um diretor especial quando vemos um close em um boneco esculpido em madeira envolto a um saco bolha e já nota-se que através daquele item existe muita história e uma analogia ao grande amor da protagonista (interpretado pelo galante Daniel Grao sentado seminu na mesma posição que o boneco) ...assim como nos livros, nas cartas que a protagonista escreve e narra suas angústias e nas fotografias rasgadas. Detalhes característicos do cineasta espanhol.


Depois da péssima recepção de sua comédia rasgada; "Os Amantes Passageiros" (Los Amantes Pasajeros, 2013), Almodóvar surge das cinzas como uma fênix e entrega este lindo trabalho. Não tão admirável como a sua obra-prima "Fale Com Ela" (Hable Con Ella, 2002), ou mesmo "Volver" (Idem, 2006), mas nem por isso irregular. Não tem a intenção de ser mais um "Mulheres À Beira de Um Ataque de Nervos" quando o assunto são as mulheres. É um filme mais quieto e menos amalucado. É marcado também pelo retorno da atriz-fetiche do diretor; Rossy De Palma, quase irreconhecível pela envelhecida maquiagem. 

Mais uma vez (e é meio que raro em sua filmografia), Almodóvar faz uma adaptação de autores estrangeiros (o mesmo aconteceu em "Carne Trêmula" e "A Pele Que Habito"). Agora, não é mais uma Ruth Rendell ou Thierry Jonquet e sim a canadense Alice Munro que já teve obras suas adaptadas: "Longe Dela" (Away From Her, 2006) da atriz e diretora Sarah Polley e o mais recente "Amores Inversos" (Hateship Loveship, 2013), citando alguns. Almodóvar mescla três contos do livro "Fuga", de 2004, aliás, ganhador do Prêmio Nobel. A hibridização dessas histórias em uma só é realmente um trabalho de gênio e muito inspirador. Na sua passagem no último Festival de Cannes, na qual o filme concorreu a Palma de Ouro, Almodóvar, que obteve os direitos de adaptação em 2009, disse que se envolveu com o livro devido a sua força imagética como nas cenas cruciais que se desenrolam no interior de um trem. Segundo ele: "Havia algo incrivelmente apaixonante naquele trem..." e completa: "Uma mulher viajando sozinha, é uma imagem muito cinematográfica."  Obviamente que ao seu estilo, Almodóvar faz mais do que uma transmutação das histórias ( e acredito que cineasta nenhum deve se manter 100% fiel ao material, afinal, cinema é isso mesmo, adaptação, modificação, uma outra mídia) o que importa é a essência contida nas tramas, das relações familiares e principalmente as ligações entre as mulheres de Munro que ele manteve lindamente.


Curiosamente, o título inicial seria "Silêncio", mas foi modificado para "Julieta" durante sua pós-produção justamente para evitar confusões com o próximo filme de Martin Scorsese, "Silence" para ser lançado ainda este ano.

Inicialmente este seria o primeiro filme dele falado em língua inglesa e fiquei chocado ao ler que a atriz que ele havia selecionado para o papel título era ninguém menos do que Meryl Streep! A diferença é que Streep interpretaria três versões da personagem aos 20, 40 e 60 anos de idade. Houve, de fato, uma reunião entre Almodóvar e Streep, que aceitou o papel. Os produtores já trabalhavam nas locações no Canadá ,Vancouver onde as premissas são baseadas. No final das contas, Almodóvar engavetou o projeto infeliz com a perspectiva de filmagem em qualquer país estrangeiro e desconfortável com a sua capacidade de escrever um filme totalmente em inglês. O que me faz crer na ideia de que ele é nada mais do que espanhol. Está em sua alma. Anos mais tarde, ele foi convencido por amigos de que deveria realizar o projeto, mas transcrever toda a história se passando na Espanha e em espanhol.


Assim sendo, o filme conta a trágica história de Julieta (Emma Suárez na fase mais velha), uma mulher linda, inteligente, porém melancólica que vive em Madrid, mas que está prestes a se mudar para Portugal com Lorenzo (Dário Grandinetti: de "Fale com Ela" e "Relatos Selvagens"). Mas, como tudo na vida é favorecido pelo universo, Julieta, passando na rua, tem um encontro casual com uma amiga de infância de sua filha chamada Beatriz (Michelle Jenner) e, obviamente, acaba descobrindo alguma informação da filha, Antía (Priscilla Delgado na fase adulta) que desapareceu sem deixar vestígios. Com isso, Julieta abandona a ideia de mudar de cidade (e de vida) com o seu novo amor quando a chama e coração apertado de mãe reacendem a esperança de restabelecer contato com a filha o que a faz se mudar para o antigo apartamento que morou com ela sendo este o único meio de contato com Antía. E, narrado de forma não linear, um flashback surge e vemos mais fragmentos da jornada desta mulher. Seu relacionamento apaixonante com Xoan (Daniel Grao) e o fruto deste amor que concebeu Antía, sua amizade com a ex-mulher de Xoan, Ava (Inma Cuesta), uma artista escultora, seu tumultuado relacionamento com o pai (Joaquín Notario, um homem idoso que se envolve com uma mulher mais jovem, sua mãe quase senil (Susi Sánchez) e Marian (Rossy De Palma), a empregada de Xoan. Um mosaico de tramas e personagens tipicamente Almodovariano.  


É um filme sobre a incomunicabilidade e as consequências que podem tragicamente ocorrer entre mãe e filha. Agora eu entendo porque o título anteriormente se chamaria “Silêncio” um dos contos mais tristes de  Munro (os demais são “Destino” e “Logo”). Mas, “Julieta” é um título que tem mais características Almodóvar e Adriana Ugarte e Emma Suárez fazem lindamente essa mulher depressiva e angustiada. Adoro, por exemplo, a mudança da passagem do tempo...quando as atrizes trocam de cena debaixo de uma toalha de banho. Enfim, um legítimo Almodóvar.

Espanha
Drama  Romance
1h 39 min.
Universal
★★★★★


El Deseo Apresenta
Um Filme de Almodóvar
julieta
Com: Adriana Ugarte  Emma Suárez  Inma Cuesta  
Michelle Jenner  Rossy de Palma  Daniel Grao
Darío Grandinetti   Nathalie Poza  Susi Sánchez
Música Alberto Iglesias  Montagem José Salcedo
Direção de Arte Antxón Gómez   Figurinos Sonia Grande
Direção de Fotografia  Jean-Claude Larrieu
Produzido por Agustín Almodóvar  Esther García
Direção Pedro Almodóvar
Roteiro Pedro Almodóvar Baseado nos Contos de Alice Munro
Julieta © 2016 El Deseo – Canal+France – Ciné+ TVE

6 comentários:

Amanda Aouad disse...

É sim um filme mais distante, frio até como você fala, mas não deixa de ter emoções a flor da pele (ainda que escondidas dentro do peito e do silêncio) e tem também suas estranhezas, rs. Acho um retorno digno do cineasta, principalmente ao universo feminino.

bjs

Rodrigo Mendes disse...

Amanda: Sim, o roteiro é esplêndido. Almodóvar voltou em grande forma. Talvez as ideias secaram e ele precisava de um bom livro para inspirar uma adaptação e, sim, o filme é bem emotivo dentro de sua proposta, mas diferente de outros que falam sobre mulheres como "De Salto Alto", por exemplo. É um filme distante de Almodóvar por ser mais sério, como "A Pele Que Habito".
Bjs.

Gustavo H. Razera disse...

Seu comentário aumenta meu apetite pelo filme. Ao contrário de todo o resto da população humana, aprecio mais o Almodóvar contido e penetrante dos últimos tempos. Considero Fale com Ela e A Pele que Habito seus melhores filmes; se Julieta vai até além nesse tipo de registro, tanto melhor.

Cumps.

Rodrigo Mendes disse...

Gustavo, então suponho que irá apreciar Julieta. Sinceramente odiei A Pele Que Habito na primeira sessão quando fui ao cinema. Tem um texto meu na tag Almodóvar onde declaro tal frustração. Depois, tive um relacionamento melhor com a fita nas revisões. Ainda, em minha opinião, Fale com Ela é o seu ápice, mas adoro as comédias rasgadas também e os primeiros filmes undergrounds.

Abraço.

ANTONIO NAHUD disse...

O problema de Almodóvar é o mesmo de Woody Allen nos últimos tempos: elenco decepcionante.

Rodrigo Mendes disse...

Discordo, Antonio. Dê uma chance a este Almodóvar. Não é a derrapada de Os Amantes Passageiros. Allen, bom, às vezes ele não entrega um filme tão bom quanto uma ou outra obra-prima como "Match Point" e "Meia- Noite em Paris".

🚪 Acervo de Películas

00's 007 10's 20's 30's 3D 40's 50's 60's 70's 80's 90's Ação Adoro Cinema Akira Kurosawa Al Pacino Alec Guinness Alfonso Cuarón ALIEN Almodóvar ANG LEE Angelina Jolie Animação ARNOLD SCHWARZENEGGER Arthur P. Jacobs Audrey Hepburn Aventura Batman Bela Lugosi Bernardo Bertolucci Bette Davis Billy Wilder Blake Edwards Blaxploitation Bob Fosse Boris Karloff Brian De Palma Bryan Singer Buster Keaton Carl Laemmle Carol Reed Carrie Fisher Cary Grant Cecil B. DeMile Chaplin Charlton Heston Christopher Nolan CINE TRASH Cine-Doc CINEASTAS Cinebiografia Cinema Asiático Cinema Europeu Cinema LGBT Cinema Marginal Cinema MUDO CINEMA PRETO & BRANCO Cinema Rodrigo Clark Gable Clássicos Claude Rains Clint Eastwood Colin Trevorrow Comédia Coppola Crepúsculo CULTS Curt Siodmak Curta-metragem Curtis Hanson Daniel Craig DANNY BOYLE Danny DeVito Dario Argento Darren Aronofsky David Bowie David Cronenberg David Fincher David Lean DAVID LYNCH David O. Selznick DC Comics Denzel Washington Disney Documentário Drama Drogas Eduardo Coutinho Eisenstein Elia Kazan Elvis Presley Épico Época Erotismo Errol Flynn ESPECIAIS Fantasia Fatos Reais Fellini FERNANDO MEIRELLES FILMES IRREGULARES Filmes Natalinos FOX FRANÇOIS TRUFFAUT FRANK CAPRA Frank Darabont Frank Oz Fritz Lang Gangsters Gene Wilder George A. Romero George Cukor George Lucas George Miller George Stevens George Waggner Georges Méliès. Gérard Depardieu Giallo Gillo Pontercorvo Grace Kelly Greta Garbo Guerra GUEST SERIES Guillermo del Toro Gus Van Sant Halloween Harold Lloyd Harrison Ford HARRY POTTER Henri-Georges Clouzot Henry Selick Hitchcock Home Video Homem-Aranha Howard Hawks HQ Humphrey Bogart INDIANA JONES Infantil Ingmar Bergman Ingrid Bergman Irmãos COEN Isabelle Huppert Ivan Reitman J.J. Abrams Jack Arnold Jack Nicholson Jacques Tourneur James Cameron James Ivory James Stewart JAMES WHALE Janet Leigh Japão Jason JEAN-LUC GODARD Jim Henson Joan Crawford Joel Schumacher John Carpenter John Ford JOHN HUGHES John Huston John Landis John Waters Jonathan Demme Joon Ho Bong José Mojica Marins Joseph L. Mankiwicz Judy Garland Kate Winslet Katharine Hepburn Kevin Spacey KING KONG Kirk Douglas KRZYSZTOF KIESLOWSKI Lars Von Trier Lawrence Kasdan Leonardo DiCpario Liza Minnelli Lon Chaney Jr Luc Besson Luca Guadagnino Luis Buñuel M.Night Shyamalan Marilyn Monroe Mário Peixoto Mark Hamill Marlene Dietrich Marlon Brando Martin Scorsese MARVEL Matinê Mel Brooks Melhores do Ano Michael Curtiz Michael Douglas Michael Haneke Michael Jackson Michael Powell Michel Gondry Michelangelo Antonioni Milos Forman MONSTERS COLLECTION Monstros Musicais Nacional Noir NOUVELLE VAGUE O Senhor Dos Anéis Oliver Stone Olivia de Havilland Orson Welles Oscar Outubro Das Bruxas P.T. ANDERSON Pam Grier Pânico Paramount Park Chan-wook Paul Verhoeven PERFIL Peter Bogdanovich PETER JACKSON Philip K. Dick Pier Paolo Pasolini Pierce Brosnan Piores do Ano Pipoca PIXAR Planeta Dos Macacos Policial Quentin Tarantino Rian Johnson Richard Donner RIDLEY SCOTT RKO Road-Movie Robert De Niro Robert Rodriguez Robert Wise Robert Zemeckis Roger Moore Rogério Sganzerla Roman Polanski Romance Sam Mendes Sam Peckinpah SAM RAIMI Sangue Scarlett Johansson Sci-Fic Sean Connery Sean Penn Sergio Leone Sessão Da Tarde Sessão Dinossauro Sessão DUPLEX Cinema MUDO Sessão Surpresa SESSÃO TRAILER Sexo SEXTA-FEIRA 13 Sharon Stone Sidney Lumet Sigourney Weaver Sofia Coppola Spielberg Stan Lee Stanley Donen Stanley Kubrick Star Trek Star Wars Stephen King SUPER HERÓIS Suspense Terror Thriller Tim Burton Timothy Dalton TOD BROWNING Tom Cruise Tom Hanks Tom Tykwer Trash TV Uma Thurman UNIVERSAL STUDIOS Universo Jurassic Park Victor Fleming Violência Vivien Leigh Wachowski Walter Hugo Khouri Walter Salles Warner Wes Craven Western William Castle William Friedkin Wolfgang Petersen Wong Kar Wai Woody Allen Zé do Caixão